• 06 NOV 17
    • 0
    Novembro azul: a saúde do homem também pede cuidados

    Novembro azul: a saúde do homem também pede cuidados

    A fim de conscientizar a população, principalmente a masculina, sobre os riscos do câncer de próstata, formas de prevenção e as maneiras de diagnosticar a doença, surgiu o movimento internacional Novembro Azul. Durante todos os trinta dias de novembro são realizadas campanhas de esclarecimento sobre a doença, além da iluminação dos pontos turísticos ao redor do mundo como forma de divulgar o movimento. Comemorado inicialmente na Austrália em 2003, esse mês foi escolhido porque é o mesmo em que se comemora o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

    No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens e tem como agravante a não manifestação de sintomas até que a doença esteja em estágios avançados, o que acaba resultando em chances de cura reduzidas. Por outro lado, a detecção precoce aumenta as chances de cura para 90%. Isso mostra que o diferencial no prognóstico dessa, e de tantas outras patologias, é o estágio da doença no momento em que o diagnóstico é realizado.

    Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), em 2017 devem ser registrados 61,2 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil. Dados do Ministério da Saúde indicam que 14.484 homens morreram em decorrência da doença no país em 2015. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

    De acordo com o Inca, o câncer de próstata é considerado um tumor da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostram que 20% dos pacientes são diagnosticados em estágios avançados da doença, o que faz com que a taxa de mortalidade chegue a 25% dos pacientes.

    O Inca alerta que alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos. A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta, levando cerca de 15 anos para atingir 1 cm³, que não chega a dar sinais durante a vida, nem ameaçar a saúde do homem.

    A adoção de hábitos saudáveis, como uma boa alimentação e a prática regular de atividade física, são indicadas para a prevenção. Há estudos indicando que o consumo de alimentos ricos em vitaminas A, D e E, minerais como o selênio, e compostos bioativos como os carotenoides presentes em frutas e vegetais de cor alaranjada, vermelha ou amarela (tomate, cenoura), além das leguminosas (feijão, ervilha), são componentes da dieta que têm efeito protetor.

    De acordo com o urologista da Clínica Adventista de Curitiba, Dr. Paulo Jaworski*, o rastreio do câncer de próstata deve ser realizado a partir dos 50 anos, com o exame da próstata com o toque e a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Para a população em geral, não é necessário exame algum antes disso. Já os pacientes com risco aumentado (histórico familiar ou afrodescendência) devem iniciar a prevenção aos 45 anos.

    Para diagnosticar precocemente os casos é preciso romper com o preconceito que atrapalha a prevenção e incutir nos homens a importância da conscientização e informação sobre o tema. É fundamental que os homens estejam atentos à sua saúde e sinais do organismo para observarem qualquer alteração e sintomas, e não hesitarem em procurar um médico para esclarecer dúvidas e realizar o exame anual de prevenção.

     

    *Paulo Eduardo Dietrich Jaworski é médico da Clínica Adventista de Curitiba, CRM-PR 23663, especialista em Urologia, RQE 18764.

    Deixe uma resposta →